Jean Narciso Bispo Moura




Retratos Imateriais de Jean Narciso Bispo Moura  é o próximo lançamento da Editora Singularidade.  A ilustração de capa é da artista plástica mineira Cristina Arruda. Jean, que participa da cena literária brasileira desde 2000, é um poeta fluente, preciso, com uma voz lírica consciente, sem rasgos de desespero, mas,madura, sábia, observadora e tranquila. Alguns poemas do livro:

desespero temporal


o tempo envelhece na pele da humanidade
os séculos descansam no colo do milênio
o tempo envelhecido caça rã tartaruga
e borboleta
a palavra como fiel secretária
redige entre uma pincelada e outra
a tênue escritura de um só homem


língua postiça


por que tenho tanto receio
do que está por detrás
da clandestina figura mitológica?
a sua língua postiça
nunca produzirá diálogo
para pôr luz no litigioso enigma


utopia


vejo-me a dois séculos
dentro de um livro
encontro-me enterrado
na demolição da casa
 de um estrangeiro
sou página coberta de poeira e amarelo



A imagem pode conter: 1 pessoa, listras e close-up
Jean Narciso Bispo Moura (1980). Poeta, natural de São Félix-BA e reside atualmente em Suzano-SP. Estreou em livro no início dos anos 2000, com o título “A lupa e a sensibilidade”, também é autor de “75 ossos para um esqueleto poético” (2005); “Excursão incógnita” (2008); Memórias secas de um aqualouco e outros poemas “(2011)” e “Psicologia do efêmero” (2013). Tem poemas publicados na Germina, Blecaute, Antonio Miranda, Canal Subversa, Blog do Noblat etc.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Editora Singularidade

SÉRIE AMAITÉ